domingo, 23 de novembro de 2014

Cinco filmes para provar que Jeff Daniels não é só "Debi & Lóide"

domingo, 23 de novembro de 2014


Redescobri Jeff Daniels em "The Newsroom". Até então, pra mim, ele só era o Debi & Lóide, que assim como Jim Carrey, estava vivendo do ostracismo do comediante que fez sucesso nos anos 1990/2000. Depois de uma olhada no Imdb, veio a surpresa, filmes de outros gênero não eram fora da curva, Jeff fez de tudo ao longo da carreira. Para quem ainda tem a impressão que Jeff Daniels é apenas "Debi & Lóide" (e sua continuação que acaba de estrear), ai vai uma listinha de filmes legais protagonizados pelo ator para conhecer um pouco mais sobre ele:
Esse talvez seja o filme de não-comédia pastelão mais conhecida do ator. Nesse longa de Woody Allen, Jeff é o herói do filme que sai da tela para declarar seu amor para uma aficionada por seu longa, interpretada por Mia Farrow. Ela sustenta o marido bêbado e desempregado, que só sabe ser violento e grosseiro, foge da sua triste realidade assistindo projeções. Dai a confusão impera e além do personagem, o ator que o interpreta aparece para tentar entender como é possível que alguém tenha saído da tela do cinema.

Adoro esse filme - deve ter sido o tanto que ele passou na sessão da tarde - e apesar de não ser o protagonista, o ator é um dos personagens principais. No filme, David (Tobey Maguire) é um jovem solitário, que não é feliz com sua vida e foge da realidade assistindo "Pleasantville", um seriado em preto e branco dos anos 1950, onde tudo é agradável. Por um acidente, ele e a irmã vão parar no seriado e descobrem que a vida em preto e branco não é tão legal assim. Jeff Daniels interpreta Mr. Johnson, o dono da lanchonete onde David trabalha e um dos primeiros a ir contra as autoridades locais por um mundo "com mais cor".

Drama familiar com pitadas de humor alternativo ao estilo de Sundance. Nele, Jeff Daniels é Bernard Berkman, que já foi um romancista de grande sucesso e vê sua mulher despontar na área. O casal se separa e os filhos, Walt (um Jesse Eisenberg novinho) e Frank (Owen Kline) precisarão lidar com a nova vida dos pais (e a falta de atenção dos dois) para crescer.

Tempo de Crescer (2009)
Ok, adoro um filme meio esquisito. Nesse, o ator é um escritor que tem um amigo imaginário (o super herói loiro platinado vivido por Ryan Reynolds) e um casamento meio falido. O personagem se muda a pedido da esposa, e passa o inverno sozinho enquanto ela trabalha em um hospital e o visita poucas vezes. Ele então fica amigo de Abby (Emma Stone), que também tem problemas com seu passado.










Eu e Deus (2009)
Mais um filmes com personagem excêntrico. Nesse Jeff é um autor (nossa, como ele viveu escritores no cinema, né?) que escreveu um bestseller chamado "Me & God". Tomado como o novo livro messiânico, ele nunca se revelou para os leitores, e vive a vida de um jeito esquisito. Então ele é tirado da sua zona de conforto, e é ai que o filme começa.

...

Menção honrosa para "Boa Noite e Boa Sorte", que Jeff não protagoniza, mas é filmão. Nele, Edward R. Morrow é um âncora de televisão que entra em confronto com o senador Joseph McCarthy ao expôr as táticas e mentiras usadas por ele em sua caça aos supostos comunistas. Inicia-se, então, um grande confronto público que trará consequências à recém-implantada televisão nos Estados Unidos. Nele, o ator vive Sig Mickelson, o primeiro diretor da CBS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Coisas Infinitas © 2014