sábado, 10 de janeiro de 2015

Dez músicas que esquecemos que fazem parte da trilha de filmes famosos

sábado, 10 de janeiro de 2015


Fiz um top cinco para cantar junto no natal e percebi que canções no cinema são muito mais do que uma época temática do ano . Estava lembrando de canções que ficaram tão ou mais famosas que seu filme de origem a ponto de esquecermos que um dia a música fez parte de uma trilha sonora. Ai vai mais uma lista de dez canções muito legais que você nem desconfiava que foram feitas para o cinema (ou esqueceu e esse post ajudou a lembrar):

O filme: "A Dama de Vermelho"
1984 foi um ano maravillhoso para a música no cinema. Concorrendo como canção original estavam "I Just Called to Say I Love You", "Against All Odds (Take a Look at Me Now)", de Phil Collins - que está ai embaixo - "Footlose" e "Ghostbusters" (já viram essa postagem sobre quão maravilhoso é o clipe original dessa música?). Ganhou Stevie Wonder, que depois de ter uns anos 1970 maravilhosos (meus preferidos da discografia), ficou mais pop e gravou em nossa memória o refrão dessa canção.


O filme: "Paixões Violentas
Como eu disse ai em cima, 1984 foi um bom ano. Phil Collins criou "Against All Odds (Take a Look at Me Now)" para o filme homônimo protagonizado por Jeff Bridges. o resultado? Todo mundo conhece pelo menos o refrão da música, mas poucos lembram o enredo do longa.

O filme: "O Sol da Meia-Noite
A música: "Say You, Say Me"
Algumas músicas sempre me lembram do meu pai zappeando pelas rádios e terminando na MPB FM. Depois que ele descobriu a pen drive, isso não acontece mais, mas músicas como "Say You, Say Me" ainda lembram da minha infância. Criada para o filme "While Nights", a canção fez mais sucesso que o longa, assim como outro trabalho de Lionel, "Endless Love".

O filme: "A Filha de Netuno"
Essa é das difíceis, "Baby it's Cold Outside" apareceu pela primeira vez no filme "A Filha de Netuno", longa de 1949, a inocente e distraída Betty Barrett (Betty Garrett) quer conhecer o astro do time de polo aquático sul-americano José O'Rourke (Ricardo Montalban), mas confunde ele pelo massagista do grupo, que esconde a sua verdadeira identidade. Quase ninguém viu o filme, certo? Agora experimenta chegar na época do natal e não ouvir  "Baby it's Cold Outside" por ai, é quase um sacrilégio.


O filme: "Sem Destino"
A música: "Born to Be Wild"
Uma coisa engraçada sobre "Born to Be Wild" virou sinônimo de "aquele momento que você larga tudo e faz o que você quer, de preferência em cima de uma moto" (do mesmo modo que é só tocar "Bad to the Bone", que dá para entender que alguém vai fazer alguma má). "Sem Destino" é um road movie sobre dois motoqueiros, mas o que chamou mais a atenção foi sua trilha: todo mundo lembra da canção do Steppenwolf, poucos recordam do enredo do filme.

O filme: "Armageddon"
"I Don't Want to Miss a Thing" é uma das músicas mais populares do Aerosmith e foi composta especialmente para o filme "Armageddon". Apesar da canção lembrar muito o filme sobre os perfuradores de pétroleo que acabam virando astronautas, sempre tive a impressão que a música existia antes da jornada de Bruce Willis e seus amigos. A compositora, Diane Warren, escreveu a canção pensando em Celine Dion como intérprete, e depois da negativa, mostrou a letra para o U2. "I Don't Want to Miss a Thing" só encontrou seu verdadeiro lar com o Aerosmith depois que Liv Tyler entrou para o elenco de "Armageddon"

O filme: "Ritmo Louco"
A música: "The Way You Look Tonight"  
Em 1936, o mais legal que estava acontecendo no cinema era Fred Astaire e Ginger Rogers, em 2015, a coisa ficou dificil para o clássico casal, e, apesar de renomados, não são tão populares. Sabe o que as duas épocas tem em comum? "The Way You Look Tonight" foi gravado pela primeira vez em "Swing Time", mas continua por ai do mesmo jeito, ponto para os compositores Dorothy Fields e Jerome Kern.


O Filme: "Mannequin"
Sempre fico muito impressionada como algumas músicas tem a cara dos anos 1980. "Nothing's Gonna Stop Us Now" está nessa lista e foi tema do querido filme da sessão da tarde "Manequim". Se a composição do Starship surgiu para um filme dos anos 1987, a música continua ai tocando pelas rádios - mais uma da trilha sonora de viagens de carro com o meu pai.

A música: "Live and Let Die"
O longa é muito famoso, mas aconteceu um fenômeno entre cinema e canção: é preciso pensar um pouco antes de perceber que "Live and Let  Die" foi uma encomenda para o filme e não uma coincidência. Paul McCartney compos a canção em uma tarde de sábado depois de ler o roteiro, o resto é história.


O filme: "Fúria da Carne"
A música: "Wild Is the Wind"
Diferente das outras músicas ai de cima, essa canção passou por uma regravação para entrar no limbo das grandes trilhas sonoras. Escrita por Dimitri Tiomkin e Ned Washington para o filme de 1957, "Fúria da Carne", "Wild Is the Wind" só chamou atenção quando Nina Simone deu nova cara ao que originalmente tinha a voz de  Johnny Mathis. Quase duas décadas depois, foi a vez de David Bowie criar sua versão para "Wild is the Wind".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Coisas Infinitas © 2014