terça-feira, 28 de abril de 2015

Ela não é uma garota do Instagram: a história de uma foto de 102 anos

terça-feira, 28 de abril de 2015


Não sei para vocês, mas para mim, o mundo de cem anos atrás é quase inteiro preto e branco com algumas notas de cores desbotadas. Não me importa quantas pinturas eu veja e quantos livros eu leia - ricamente detalhados sobre cores e tecidos - para o meu cérebro, o passado é pálido e meio cinza.

Então apareceu um link na timeline do meu Twitter (Alias, segue lá, @coisainfinita) e fiquei impressionada com a explosão de cor. O Science Museum, em Londres, está com a exposição "Drawn by Light", com registros da sociedade do século 19 e início do 20. E é ai que entra essa mocinha loira de vermelho que abre esse post. Ela se chama Christina O'Gorman e foi fotografada em 1913. Sim, você entendeu certo, 102 anos atrás. O fotografo é seu pai, Mervyn O'Gorman o que explica a falta de "decoro" nas poses.




O que me deixou mais curiosas sobre essas fotos - além de que elas facilmente passariam por um ensaio hipster do Instagram com direito a filtro - é a técnica. Apesar da fotografia ter surgido nas primeiras décadas de 1800, a fotografia colorida só se popularizou em 1960/70 em todo o mundo e é diferente (e raro) ver imagens em cores décadas antes disso. O processo se chama Autocromo, e se destacava principalmente em algumas cores - como o vermelho de Christina.

Então fiquei enlouquecida, e passei horas pesquisando sobre o assunto e vendo fotos - a busca no pinterest sobre o tema é maravilhosa. É um choque para quem via o mundo preto/branco/cinza como eu e vale a pena para conferir com mais detalhes o estilo da época. Os vestidos formais, as roupas dos soldados, as casas e suas plantas. Vale muito ver tudo. Para mais fotos dessa série de Mervyn O'Gorman, clique aqui.




4 comentários:

  1. Gente, essa foto tem 102 anos? Tinha visto de relance pelas timelines da vida, mas não tinha visto a história. JURAVA que era algo mais recente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né? Dei uma semi-enlouquecida com essas fotos e as outras com autocromo

      Excluir
  2. Karen, o vc colocou o nome do lugar como nome do pai o nome certo dele é Mervyn O´Goorman. Belo artigo, adorei! Eu gosto muito de fotografar com filme, sinto um interesse especial pelo assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, obrigada! Já corrigi. Fiquei enlouquecida pela técnica pela possibilidade de ver fotos tão antigas coloridas. Não tenho "olho" de fotografo, mas gosto de pesquisar o assunto.

      Excluir

Coisas Infinitas © 2014