domingo, 10 de maio de 2015

"Para se Divertir, Ligue...": o bromance das garotas

domingo, 10 de maio de 2015


Eu sei que esse termo é sobre filmes com amizades masculinas, mas não há outra categoria melhor para "Para se Divertir, Ligue...". Eu achava que era uma comédia pastelão, mas o Netflix me avisou que eu me divertiria baseado nas minhas escolhas anteriores. Então percebi que 1) era comédia leve de cinema independente e 2) o longa é pura relação feminina e amizade de mulheres, independente dos caras que aparecem ao longo do filme.

A história é a seguinte: Lauren namora um cara muito muito chato que ela considera perfeito para o que ela sonha para a vida. Ele termina com ela e a manda embora de casa. Ao mesmo tempo, o aluguel de Katie e ela precisa dar um jeito para manter o apartamento gigante que ela tem em New York - que a avó alugava e ela conseguia manter por um valor baixo.Um amigo em comum (Justin Long, que tomou banho na mesma fonte da juventude que Keanu Reeves) aconselha a uma resolver o problema da outra. A questão é que elas não vão uma com a cara da outra - e o trailer lá embaixo entrega o motivo.




Quando li a sinopse, achei que ia ser o clássico "humor em cima de mulheres brigando", mas estava super enganada. Lauren vai morar com Katie e apesar das diferenças, as duas mantém uma boa relação. Então um dia Lauren é demitida, descobre que Katie é profissional de disk-sexo, e resolve juntar as habilidades da moça com sua veia empreendedora e experiência em gerenciamento para ganhar dinheiro.

Então as duas começam a ficar próximas e ganhar muito dinheiro, Lauren aprende que existe uma mulher sensual dentro dela e Katie que ela pode ter amigas mulheres. Mas o longa não é só isso. Ele é uma comédia leve sobre amizade, com roteiro super Bechdel aproved, e que foge da maioria dos filmes "femininos leves" (ou comédias românticas se preferir): precisa ter um cara, e esse cara precisa ser importante e sem ele a história não vai para frente.




Pois é meus amigos, aqui Katie e Lauren se mantem firmes e fortes sem a presença masculina - e inclusive uma delas termina sozinha e sem nenhuma insinuação de interesse amoroso nos 45 do segundo tempo só para ter um "final feliz". Lauren Miller, a Lauren do filme, e Katie Anne Naylon assinam o roteiro do longa, que tem várias participações especiais como Kevin Smith, Seth Rogen e Nia Vardalos.

Apesar do plot datadíssimo (ainda existe disk sexo na era pós-internet, gente?) é um filme maravilhoso, cheio de sororidade, girl power e essa coisa maravilhosa sobre mulheres e como suas vidas não giram ao redor de homens apesar do que a maioria do cinema diz. Tudo isso sem cair do didatismo e sem deixar de ser leve, vale muito ver. Está disponível no Netflix.

2 comentários:

  1. Com essa descrição, fiquei curiosa pra ver! Gosto de filmes leves pra assistir à noite, mas que não sejam tão óbvios. Abrindo meu netflix aqui! haha <3

    ResponderExcluir

Coisas Infinitas © 2014