domingo, 4 de outubro de 2015

"Eu, Você e a Garota que Vai Morrer" é um hipster de bom coração

domingo, 4 de outubro de 2015


Como vocês já puderam aprender lendo algumas das minhas postagens, curtos um filme indie engraçadinho. Então desde que ouvi sobre esse filme quando ganhou Sundance (acá, o lugar que faço listas do que eu vou ver ao longo do ano) estava ansiosa.

Para quem não conhece o filme, "Me, Earl and the Dying Girl" (poxa tradução brasileira, é um crime tirar o Earl do título) mostra o último ano de Greg na escola, em que ele não é amigo de ninguém mas circula por todos os lados, o que evita que ele seja "o cara esquisito que deve ser zoado". Ele tem um amigo, a quem ele diz que não é, mas sim um colega de trabalho, porque eles criam filmes caseiros.





Então a mãe obriga ele a visitar a filha de uma amiga com leucemia, Rachel - e que estuda na mesma escola que ele. Não, não é um câncer love story tipo "A Culpa é das Estrelas", eles se tornam amigos, Greg continua esquisito e vemos esse ano entre ele, as coisas com Earl e a menina que vai morrer, e como ele decide fazer um filme para Rachel e se depara com todos os lugares comuns de "vamos fazer um longa para um doente terminal".

Não vou negar, achei o filme meio longo, cansativo, mas me lembrou fácil a era de ouro do John Hughes (não conhece, vai procurar que vale a pena, viu?) em que mostra que adolescentes não são babaquinhas, eles tem todo um mundo incrível por trás.




O show a parte vai para edição: temos trechos de filmes caseiros, longos takes, inserções de figura de linguagem - por exemplo todas as vezes que o esquilo é esmagado pelo alce para mostrar os encontros entre Greg e a garota bonita mais um pouco manipuladora ou quando ele é drogado por engano e vê pessoas fantasiadas.

Achei um filme esteticamente maravilhoso, um pouco longo demais - ou calmo demais para o meu gosto, o que prolonga conflitos desnecessários - mas com gosto de nostalgia. Vale a pena pela história de bom-coração-aprendi-a-lição (meio manic pixie dream girl), pelo Earl que é o amigo que todo mundo tem, e porque todo mundo vive esses tipos de conflito. Está como eu, nos 20 e poucos, mas já saiu da escola há uma década ou mais? É motivo adicional para entrar na melancolia do Greg sobre não ter ideia do que vai fazer da vida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Coisas Infinitas © 2014